América empata no finalzinho e levanta a taça após 15 anos de espera

Hoje em Dia

A capacidade infinita do futebol de criar personagens entrou em campo na decisão do Campeonato Mineiro de 2016. E o América chega ao título, depois de 15 anos, graças a um reserva, que começou as finais contra o Atlético como reserva, jogou improvisado nos dois confrontos e foi o autor dos três gols do Coelho diante do Galo. O deste domingo (8), aos 38 minutos do segundo tempo, valeu a taça, pois garantiu o empate por 1 a 1. No domingo passado (1), no Independência, o lateral Danilo, que substituiu o meia Tiago Luis, já tinha balançado a rede de Victor por duas vezes.
Não poderia ser diferente num confronto marcado pelos desfalques. Antes de a bola rolar, o técnico Givanildo Oliveira, do América, garantiu: “Escalei os 11 melhores que achei para começar o jogo”.
Do outro lado, Diego Aguirre, que não contava com Dátolo e Luan, machucados, poupou alguns titulares, como Leonardo Silva e Robinho e afirmou: “Temos opções muito boas. O time que está em campo é para ganhar e ser campeão”.
A diferença técnica entre os dois times ficou evidente. E quase fez a diferença, pois mesmo com um jogador a menos, após a expulsão do zagueiro Tiago, aos 44 minutos do primeiro tempo, o Atlético foi muito superior no segundo tempo, após uma etapa inicial equilibrada, com maior posse de bola alvinegra, mas quase empatada nas chances.
Na etapa final, o atacante Clayton, que ainda não engregou no Galo e entrou no lugar de Carlos, ainda no primeiro tempo, aparecia como o herói do título mineiro de 2016, pois aos 12 minutos abriu o placar para o Atlético, aproveitando rebote do goleiro João Ricardo, que fez grande defesa em finalização de Lucas Pratto.
O América acusou o golpe e parecia batido com a expulsão do zagueiro Alison, aos 36 minutos do segundo tempo. Mas dois minutos depois, o veterano Borges ajeitou para Danilo acertar belo chute no canto esquerdo de Victor. A bola ainda tocou na trave antes de entrar.
A emoção foi grande até o apito final do árbitro goiano Wilton Pereira Sampaio, que teve grande atuação. Era a senha para a festa da minoria americana no Gigante da Pampulha. E o aviso de que a história do clube ganhava um novo ídolo: Danilo.



FICHA
DATA: 8 de maio de 2016
LOCAL: Mineirão
CIDADE: Belo Horizonte
MOTIVO: Jogo de volta da decisão do Campeonato Mineiro 2016
GOLS: Clayton, aos 12, Danilo, aos 38 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: Wilton Pereira Sampaio (GO), auxiliado por Alessandro Rocha Matos (BA) e Carlos Berkenbrock (SC)
CARTÃO VERMELHO: Tiago (Atlético), Alison (América)
CARTÕES AMARELOS: Osman, Sueliton e Danilo (América)
PÚBLICO: 47.928
RENDA: R$ 1.228.935,00

ATLÉTICO 1
Victor; Carlos César (Edcarlos), Tiago, Erazo e Douglas Santos; Rafael Carioca, Junior Urso e Marcos Rocha; Carlos (Clayton), Lucas Pratto e Hyuri (Robinho).
Técnico: Diego Aguirre

AMÉRICA 1
João Ricardo; Artur (Jonas), Alison, Sueliton e Bryan; Leandro Guerreiro, Claudinei (Borges), Danilo e Rafael Bastos (Tiago Luis); Osman e Victor Rangel.
Técnico: Givanildo Oliveira