Funcionário furta R$ 170 mil e gasta com motéis, prostitutas e arma em Montes Claros/MG

Suspeito de 18 anos trabalhava em uma loja de calçados há cerca de 2 anos; dentro de mochila, escondida no telhado da casa dele, a PM apreendeu submetralhadora calibre 9 mm e parte do dinheiro furtado

Jornal O Tempo

Arma e parte do dinheiro roubado foram apreendidos  

Após roubar R$ 170 mil do proprietário da loja de calçados em que trabalhava, em Montes Claros, no Norte de Minas, um rapaz de 18 anos acabou preso na noite desta quinta-feira (28), quando já havia gasto a maior parte do dinheiro com uma submetralhadora, garotas de programa e motéis da cidade. Com ele foram encontrados pouco mais de R$ 36 mil.
De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), o suspeito trabalhava no estabelecimento, localizado no centro da cidade, há cerca de 2 anos. O dono da loja, de 55 anos, contou que guardou a quantia, fruto da venda de um imóvel e de agronegócios, em uma caixa de sapato que foi escondida no fundo de um armário no dia 20 de abril.
Somente no fim de semana o empresário descobriu que o dinheiro havia desaparecido e passou a suspeitar do rapaz, que trabalhava no estoque e não aparecia para o serviço desde o sábado. Diante disso, funcionários entraram em contato com o suspeito, que chegou a confessar o crime dizendo que não teria agido sozinho, mas sim na companhia de um "novinho".
Os colegas de trabalho do acusado chegaram a pedir que ele devolvesse o dinheiro, para evitar que a polícia fosse acionada, momento em que ele desligou o telefone e não foi mais localizado. Na segunda-feira (25) o empresário resolveu acionar a polícia e registrou a ocorrência indicando o ex-funcionário como suspeito.
Durante a confecção do boletim, o empresário acabou descobrindo que seu ex-funcionário se envolveu em uma confusão em um motel, onde ele e outros homens estariam na companhia de várias garotas de programa. Perguntado pela polícia sobre a origem do dinheiro gasto, o rapaz alegou que seria fruto de um acerto financeiro da firma onde trabalhava.

A prisão
Na noite desta quinta-feira, a PM recebeu informações de que o jovem, que também é conhecido como Tiú, estaria escondido em uma casa no aglomerado Vila São Francisco de Assis. A denúncia dava conta ainda que ele estaria portando materiais ilícitos e grande quantia em dinheiro, que estaria ostentando em motéis da cidade e prostitutas.
Quando chegaram ao endereço indicado, no beco Saracura, o suspeito foi avistado e começou a agir de forma suspeita e acabou fugindo para casa, sendo abordado no quintal do imóvel. Questionado sobre o nervosismo, ele alegou que estaria temendo pela sua vida, uma vez que alguém estaria querendo matá-lo.
Durante as buscas, os policiais acabaram encontrando uma mochila em cima do telhado, onde estavam uma submetralhadora calibre 9 mm, 10 munições da arma e R$ 36.800 em dinheiro. Questionado, o jovem afirmou ter adquirido a arma por R$ 29 mil para se defender devido às ameaças, recebidas após o furto cometido. O suspeito afirmou ainda ter dividido a quantia com outras duas pessoas, não repassando os nomes dos suspeitos.
O caso será investigado pela Polícia Civil da cidade.