Cão que ajudou a resgatar vítimas de terremoto no Equador morre de exaustão

 Hoje em Dia

Cachorro tinha 4 anos e há três e meio estava na corporação
Treinado para salvar vidas, o cão Dayko morreu após trabalhar exaustivamente para ajudar vítimas do terremoto que atingiu o Equador. Depois de ajudar ao menos sete pessoas a sair dos escombros, o cachorro não resistiu a um "forte infarto do miocárdio e insuficiência respiratória" e faleceu na última sexta-feira (22).
O Corpo de Bombeiros da cidade de Ibarra lamentou a morte de Dayko. No Facebook, o órgão declarou luto e prestou homenagem ao animal. "Dakyo partiu deixando um grande vazio na unidade canina, na vida de seu guia Alex Yela e na de cada um de nós que o conheceu", postou.
O cão, de 4 anos, estava na corporação há três anos e meio. Neste período, ele auxiliou diversas vítimas de desastres.

Em outra publicação na rede social, o Corpo de Bombeiros da cidade lamentou as críticas recebidas por internautas, que sugeriram que o cão foi "explorado". 
"O que causou a morte de Dayko foi um golpe de calor, isto acontece porque os cães não têm um sistema muito eficiente para regular a sua temperatura; o que não permite que possam eliminar calor através da transpiração, como os seres humano", explicou a corporação. 
Os militares frisaram que o cão fazia acompanhamento com veterinários.
Tragédia no Equador
O forte terremoto que atingiu o país deixou 654 mortos e ao menos 16.601 feridos. O tremor mais forte foi de magnitude 7,8 graus. Mas após o abalo sísmico, outros 722 foram sentidos no país.