Apesar da enorme pressão imposta pela torcida do Racing durante os mais de 90 minutos, no El Cilindro, o Atlético voltará para Belo Horizonte com o importante empate na bagagem. Na noite desta quarta-feira (27), o time alvinegro foi à Avellaneda – província de Buenos Aires – e apesar de ser pressionado nos primeiros 15 minutos de cada tempo conseguiu um bom resultado.
Com o empate sem gols, os dois times voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira (4), às 21h45, no Independência. Quem vencer se classifica. Novo 0 a 0 leva a disputa para os pênaltis, enquanto empate com gols classifica o Racing.

Antes disso, o Atlético disputa a primeira partida da final do Campeonato Mineiro contra o América, domingo (1º), às 16h, no Independência. Já o Racing visita o Huracán, sábado (30), pela 13ª rodada do Campeonato Argentino.

O jogo
O Racing começou a partida em um ritmo alucinante, tanto que quase marcou logo no primeiro minuto. Romero viu Victor adiantado e arriscou do meio de campo, mas a bola passou por cima do gol atleticano.

No minuto seguinte, novamente o Racing assustou o Atlético. Na cobrança de falta Romero cruzou na cabeça de Nicolás Sánchez e o zagueiro cabeceou com perigo. No centro do gol Victor fez a defesa firme para salvar o Galo.

Tentando diminuir a pressão dos argentinos, os atleticanos começaram a cadenciar a posse de bola. E chegou pela primeira ao gol de Saja, aos 11 minutos. Lucas Pratto recebeu na entrada da área e girou batendo nas mãos do goleiro argentino.

No minuto seguinte o Racing respondeu. Sozinho, Noir recebeu na linha de fundo e fez o cruzamento que foi cortado por Léo Silva para escanteio. Após a cobrança, Grimi cabeceou para as redes, e saiu para comemorar. Mas o árbitro marcou impedimento no lance.

Depois disso o nível do jogo caiu. Melhor para o Atlético que aproveitou para se organizar melhor na defesa e sair apenas nos contra-ataques. E antes do intervalo quase que o Galo abriu o placar. Aos 47 minutos, Dátolo cruzou da esquerda, e no meio da área Júnior Urso cabeceou como muito perigo à direita do gol de Saja.

Segundo tempo
Assim como no início da partida, o Racing começou a segunda etapa imprimindo seu ritmo de jogo, e logo no primeiro minuto quase marcou. Em cobrança de falta próxima da lateral direita do ataque, Romero tentou surpreender Victor batendo fechado na segunda trave. Atento o goleiro do Galo saltou e colocou para escanteio.

O Racing voltou a assustar aos sete minutos. Grimi arriscou de longe, mas o chute pegou um efeito após desviar na zaga do Galo e quase enganou Victor. Atento o goleiro se esticou todo para evitar o gol.

Após tanto sufoco o Atlético conseguiu assustar aos 12 minutos. Após cobrança de escanteio Erazo subiu mais que a zaga argentina, mas cabeceou sobre o gol de Saja. Dois minutos depois o Atlético perdeu mais uma chance de abrir o placar. Em rápido contra-ataque puxado por Robinho, o camisa 7 esperou a passagem de Lucas Pratto e colocou o atacante na cara do gol, mas o centroavante chutou sobre o gol argentino.

Aos 18 minutos o Racing voltou a atacar com muito perigo. Lisandro López recebeu ótimo lançamento na área, ajeitou e soltou uma bomba cruzada. A bola passou por Victor e explodiu na trave esquerda do arqueiro atleticano.

Parece que o susto acordou o Atlético que chegou duas vezes com perigo ao gol argentino. Aos 25 minutos, após ótimo lançamemento de Marcos Rocha, Robinho saiu cara a cara com Saja e tentou encobrir o goleiro, mas a bola saiu à direita do gol. No minuto seguinte, Robinho colocou Júnior Urso na cara do gol, mas o volante chutou em cima do goleiro do Racing.

Em busca do gol da vitória o Racing seguiu pressionando até o final. Tanto que aos 44 minutos, em boa troca de passes, Videla achou Vittor na área, só que a cabeçada passou sobre o gol de Victor.

Ficha técnica
Racing-ARG 0 x 0 Atlético

Racing-ARG
Saja; Pillud, Sergio Vittor, Nicolás Sánchez, Grimi (Gastón Diaz); Videla, Aued, Noir (Lautaro Martínez), Óscar Romero, Acuña; e Lisandro López
Técnico: Facundo Sava
Atlético
Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo, Douglas Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete, Júnior Urso, Dátolo (Clayton); Robinho (Cazares) e Lucas Pratto
Técnico: Diego Aguirre
Cartões Amarelos: Acuña (Racing), Leonardo Silva, Rafael Carioca e Júnior Urso (Atlético) Arbitragem: Julio Quintana, auxiliado por Eduardo Cardozo e Roberto Cañete, todos paraguaios. Público e Renda: Não divulgados Local: El Cilindro, Avellaneda (ARG)